A responsabilidade social individual x a incongruência pessoal

22 de março de 2013, por em Artigos
A responsabilidade social individual x a incongruência pessoal

Passada a semana do consumidor, mais precisamente o dia 15 de março, data marco, em que mundialmente comemora-se o Dia Internacional do Consumidor, tão amplamente propalado pelos avanços alcançados nesta seara, fica-nos uma reflexão: Somos, de fato, consumidores congruentes (fazer o que diz e dizer o que faz) com nossa expectativa em relação aos governantes, empresas e entidades do terceiro setor, ou transferimos a estes o peso da omissão, pela ausência da responsabilidade social individual?

A resposta a esta indagação está no pensar e agir de cada um, mas seria interessante uma mudança de olhar e atitude que nos leve a adotar uma postura pró-ativa frente à realidade incontestável da finitude dos recursos do nosso planeta. Atitudes simples, mas que fazem toda a diferença, como: Consumir menos sacolas plásticas, deixar o carro 2 na garagem, conciliando sempre que possível nossos horários com os parceiros, depositar o lixo doméstico em locais apropriados que o destinará na sequência da cadeia produtiva… Enfim, estas como tantas outras, são ações que seguramente alteram todo um resultado, uma vez que “são as pessoas que definem o rumo das ações tomadas no seu dia a dia”.

Ai fica uma frase célebre, que gosto muito de repetir, tentando da minha parte não ser também incongruente: “Não podemos mudar o passado, mas podemos contribuir para a mudança do nosso futuro”. Basta querer fazer a diferença. Fica minha reflexão para todos nós, gente e consumidor.