09 dez 2017

Nojo do lixo nos exclui de uma realidade sustentável

por há 4 meses atrás
Artigos | Lixo
Nojo do lixo nos exclui de uma realidade sustentável

São muitos os receios que nos assombram quando pensamos no lixo: odores desagradáveis, proliferação de vetores de doenças, como ratos, baratas, mosquitos e pombos, tudo isso, gravitando em torno de uma montanha de coisas acumuladas que não nos servem mais. A maioria das pessoas sente grande repugnância ao se deparar com vegetais e animais em processo de decomposição.

O que é o nojo – Entender de onde vem o nojo pode mudar tudo, fazendo com que a pessoa reveja sua posição diante do lixo. O nojo é uma emoção, assim como a raiva e o medo, e tem papel determinante em diversos aspectos de nossa vida: dos hábitos de higiene pessoal aos relacionamentos sociais.

Embora o nojo possa ser associado a reações instintivas que nos alertam para evitar determinados alimentos ou locais, ele também tem um aspecto socialmente construído. Campanhas publicitárias ligadas à saúde costumam apelar ao nojo para conscientizar as pessoas de determinados riscos. Ou seja, o nojo pode ser ensinado e aprendido.

O que nos ensinaram sobre o lixo – Certamente, o conceito de lixo que utilizamos em nosso dia a dia está carregado não só do nojo instintivo, como também do nojo social, fomentado. Sim, parte da repulsa que sentimos quando pensamos em lixo nos foi ensinada. Isso se deve, em grande parte, aos impactos negativos que o descarte em local impróprio e o acúmulo de lixo causam à saúde e aos cofres públicos.

O que ignoramos sobre o lixo – E aqui, chegamos a um ponto crucial, que é a transformação de todo o lixo que nos causa repulsa, em material compostável. O lixo oferece inúmeras possibilidades para um mundo sustentável, como é o caso da decomposição de matéria orgânica.

Muita gente ainda pode ter algum tipo de resistência em fazer a compostagem doméstica, afinal, instintivamente ou não, sempre buscamos a maior distância possível do lixo que geramos. Mas esse receio só poderá ser superado passando pela desconstrução da ideia de lixo como algo inútil e perigoso, algo nojento.

 O que é a compostagem – Para acabar com o mito criado em relação ao lixo, precisamos entender o que é a compostagem, pois depois que a compreendemos, toda nossa visão muda. Compostagem é a atividade que os seres humanos desenvolveram para facilitar a decomposição da matéria orgânica. Enquanto a decomposição é um processo que ocorre de forma espontânea no meio ambiente, a compostagem é uma técnica. Ambas resultam em um material chamado de composto orgânico ou adubo.

Esse material pode ser aplicado em lavouras e hortas urbanas para nutrir o solo, substituindo produtos químicos que podem ocasionar riscos ao meio ambiente. A decomposição de matéria orgânica é capital para a renovação do ciclo da vida, a compostagem, por sua vez, é a técnica capaz de reduzir os impactos causados pelos resíduos sólidos à saúde, ao meio ambiente e aos cofres públicos, estes últimos, decorrentes dos gastos dispendidos com a coleta, destinação e tratamento daquilo que se convencionou chamar de lixo e que nos foi ensinado como sendo algo sem nenhuma serventia.

Rafael Holsback e Ricardo Santander são proprietários da empresa Compostchêira.

Foto do álbum Beco do Batman 2017, de Corália Elias.