Chapada dos Veadeiros resiste, após o maior incêndio de sua história

21 de março de 2018, por em Sustentabilidade
Chapada dos Veadeiros resiste, após o maior incêndio de sua história

Cataratas dos Couros: Parque se recupera, após incêndio que devastou áreas que abrigam espécies de fauna e flora ameaçadas de extinção

Devastado em outubro do ano passado, pelo maior incêndio de sua história, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, esta se recuperando. A unidade de conservação teve 66 mil hectares devastados pelo fogo, o que corresponde a mais de 26% de sua área total. Se somados os outros dois incêndios anteriores, no mesmo mês, esse número sobe para aproximadamente 75 mil hectares destruídos. Apontado como criminoso pelas autoridades, o incêndio impactou, além da natureza, a saúde de moradores e a economia na região.

O longo período de estiagem e a vegetação seca do Cerrado são fatores preponderantes ao alastramento de fogo, como no caso do parque. Por isso, não é incomum que, apesar de provocado pelo homem, incêndios como este não sejam intencionais. No entanto, há uma linha de investigação que pode provar o contrário. Como o parque teve sua área ampliada de 65 mil para 240 mil hectares em 2017, há grande número de fazendeiros da região irritados com a medida – um freio para a expansão do agronegócio. Nada ainda foi provado, e autoridades locais rejeitam a hipótese, apesar de confirmarem o descontentamento.

Em manifesto anterior à expansão do parque, diversas entidades de preservação reunidas no Congresso Mundial de Conservação da Natureza (IUCN), divulgaram manifesto reiterando a importância do parque na proteção do Cerrado, “um dos biomas mais diversos e menos protegidos do País”. “O parque” – continua o texto – “será responsável pela preservação de recursos hídricos fundamentais para as áreas urbanas e rurais e ainda manterá intactas paisagens deslumbrantes para as futuras gerações”. Além de ser considerado um caso de sucesso para o ecoturismo brasileiro, as atividades relacionadas ao parque, e sua zona de entorno, servem como fonte de renda e levam para a região mais desenvolvimento e alternativas econômicas sustentáveis para as populações locais.

Jardim de Maytrea
Jardim de Maytrea: Campos de flores, veredas e buritizais emoldurados por um horizonte recortado de montanhas

Cooperação

Outro agente fundamental para a recuperação e sobrevivência da unidade de conservação foi o esforço coletivo da população e funcionários de órgãos de preservação ambiental no combate ao incêndio. Em união, entidades estatais, como o ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) e bombeiros; organizações, associações e voluntários interessados na proteção do meio ambiente seguem colaborando conjuntamente na restauração ambiental.

Uma das formas de cooperação é por meio da doação e plantio de mudas típicas para recuperação do solo e das nascentes. Chefe do Parque da Chapada dos Veadeiros, Fernando Tatagiba esteve à frente das ações de contenção do incêndio, ano passado, e agora comemora o trabalho em equipe para restaurar o parque. “As sementes de espécies nativas são fundamentais para os processos ecológicos responsáveis pela regeneração natural de ecossistemas degradados na Chapada dos Veadeiros”, diz.

Outra medida adotada também visando a preservação da área, foi a capacitação de nativos como brigadistas para ajudar em queimadas. A estratégia demonstrou resultados positivos desde sua implantação e já contribuiu com a redução de incêndios de grandes proporções.

Vale da Lua
Vale da Lua: Conjunto de rochas que lembram as rochas lunares e revelam a exuberância da Chapada, declarada Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco

Alerta

Apesar do estado atual de recuperação do parque, o desastre sem precedentes fica como um alerta para os próximos períodos de estiagem e queimadas, típicos na região. Para que não aconteça de novo, a conscientização ambiental sobre a importância desse patrimônio natural para todos e sobre o prejuízo que queimadas criminosas podem trazer é o caminho para resultados eficazes e duradouros.

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros foi declarado Patrimônio Natural da Humanidade em 2001, pela Unesco, e, além de abrigar enorme variedade de espécies de plantas e animais, é considerado “berço das águas”, pois abriga três aquíferos: Guarani, Urucuia e Bambuí, além de nascentes de seis das oito bacias hidrográficas brasileiras.

(com informações do ICMBio)

Se você quer saber mais sobre meio ambiente, preservação e boas práticas assine nossa newsletter e siga o Blog do Lixo nas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.